Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Família (im)perfeita

O dia-a-dia (im) perfeito de quem ama, e vive intensamente todos os dias, porque só assim faz sentido!

A Família (im)perfeita

O dia-a-dia (im) perfeito de quem ama, e vive intensamente todos os dias, porque só assim faz sentido!

Qua | 11.01.17

Estás mais gordinha..!!?

A mãe (im)Perfeita
Esta é aquela questão que as pessoas fazem com ar "fofinho", como quem quase pede desculpas, por fazer a pergunta, mas que para elas é impossível reter no seu intimo, é necessária a confirmação verbal, da nossa parte, para o que os seus olhos tão atentos avistam, existe essa necessidade de confirmação, esse assumir que não comemos só broculos e cenouras, que comemos eventualmente um bolo, ou dois ou três no espaço de 10 minutos, que não resistimos ás batatas fritas de (...)
Qua | 04.01.17

Ainda dorme contigo?

A mãe (im)Perfeita
Esta é uma das perguntas que mais me fazem, uns de uma forma mais chocados que outros, e para ser franca o grau de espanto pouco ou nada muda a forma como vivemos a cama a três. O co- sleeping nunca foi algo pensado para nós, enquanto família, ele foi simplesmente acontecendo naturalmente. Um dia ela estava doente, tinha cerca de um ano, e desconfortáveis com o facto de ela estar no quarto ao lado, na nossa cabeça era uma distância enorme para uma criança doente, fomos buscar a (...)
Qui | 15.12.16

Ela

A mãe (im)Perfeita
No seu colo, a nossa doce gatinha bebé, dormia e fazia tanto RonRom, que era impossível ficar indiferente...ela afagava-lhe o pêlo enquanto sorria, apesar de já haver gatos em casa quando ela nasceu, nunca teve oportunidade de pegar num bebé e apreciar o crescimento de um animal em casa, olhou para mim e pergunta:   - Mãe, será que ela sente saudades da mãe dela? - Acho que não, filha, talvez já nem se lembre, agora somos nós a família dela... Fez-se um silencio...e de (...)
Qui | 15.12.16

O (im)Perfeito início...

A mãe (im)Perfeita
Sempre gostei de escrever ( não quer dizer que o faça bem), mas o tempo ( esse malvado) foge e corre, e esgueira-se e não me deixa fazer metade do que gosto, e escrever é uma dessas coisinhas que me faz tão feliz! Os miúdos crescem, e fazem gracinhas e asneiras e constroem frases que não lembram a ninguém, e eu quero tanto, mas tanto não deixar escapar essas pequenas coisas.  Somos uma família como as outras, não nos considero especiais, em relação a tantas outras casas, (...)